Pages

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Onde está o pijama?

Quando cheguei ao destino abri a mala feita à pressa. Não veio pijama, camisa de noite, ou sequer algo que dê para improvisar. Foi aí que percebi que para não dormir nua ia usar a t-shirt que a empresa deu a cada um para a actividade de team building. Shame on me! 
SHARE:

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Packing

Tenho uma viagem de trabalho marcada há mais de 2 meses. O avião parte amanhã às 9h e às 23h 20 m ainda estou a fazer a mala (tipicamente tuga). Vive-se o drama cá em casa. Está frio, logo a roupa demora a secar, vai daí que não tenho exatamente dentro das gavetas a roupa que queria levar, porque está tudo no estendal. Activei o meu plano de sobrevivência durante a tarde. Fui à Calzedonia e comprei 5 pares de meias, fui à Zara e comprei 3 camisolas. Agora atiro para dentro da mala vários pares de sapatos, botas, calças, camisolas, ferro de viagem (porque deve estar tudo amarrotado), vestido de noite e saltos altos (porque há jantar de gala, não tivesse eu mais nada com que me preocupar, enfia mais uns quantos acessórios por causa do vestido). Resultado, vou dormir 6 horas, amanhã estou que nem posso, mas vou besuntar-me toda em base e corretor de olheiras, porque isto é trabalho e ninguém tem culpa de aos 35 anos continuar a fazer malas em cima da hora. Vou só ali penitenciar-me e já volto.


SHARE:

HYGGE, o segredo dos dinamarqueses para a felicidade

Pelos vistos o HYGGE não se vê, sente-se. Chá, lareira, velas, mantas, e a companhia daqueles que amamos. Estes podem mesmo ser os ingredientes para noites felizes e de aconchego. Ando a ler o livro do HYGGE por recomendação de um artigo publicado pela revista Visão. É curioso a forma como esta espécie de ritual da felicidade é descrita. Muitas vezes já me senti assim, numa espécie de colo, proporcionado pelo ambiente familiar de uma vulgar noite de inverno. O curioso disto tudo é tomar consciência do HYGGE e saber o que podemos fazer para nos sentirmos bem. Praticar esta filosofia, fazer disso um hábito é um desafio que lancei a mim mesma. Para mim, um bom exemplo disto é colocar fotografias de momentos felizes em molduras, ver um filme enrolada em mantas no sofá, ouvir a smooth FM à luz de velas (quem não tem lareiras pode substituir o efeito por velas). Dizem que o HYGGE é melhor quando é partilhado. Acredito que sim. Contudo, para quem estiver sozinho, rodear-se de todo este ambiente, vai seguramente experiênciar o aconchego.

SHARE:

domingo, 15 de janeiro de 2017

Wedding Mood


O dia C vai-se aproximando e os preparativos continuam. Há por aí mais casamentos planeados para Setembro? Vou deixar-vos algumas das nossas escolhas porque acredito que podem ajudar outras noivas.


Catering - Páteo Velho


Coro - Coro D'alma

Vestido de Noiva - Penhalta



SHARE:

sábado, 14 de janeiro de 2017

Look fim-de-semana



Este fim-de-semana Lisboa encheu-se de sol, mas o frio fez-se sentir. Deixo-vos uma sugestão quente e confortável, para este inverno que ainda vai a meio. Este ano decidi investir numas botas UGG. São muito quentes e super confortáveis. Temos a sensação de andar de pantufas. Comprei-as já em saldos com 30% de desconto.

botas - UGG
calças e camisola - Lanidor
SHARE:

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Preguiça a quanto obrigas (já vi desculpas melhores para encomendar sushi)

Gosto de soluções rápidas para os dias em que não me apetece cozinhar, mas também não me apetece sair de casa. O Sushi@home foi uma boa surpresa. Tem um sushi maravilhoso e um serviço Home delivery. Escusado será dizer que hoje é sexta-feira, lá fora está um frio que não se aguenta, estou cansada de uma semana de trabalho, e que por todas estas razões o sushi@home resolveu o dilema do jantar.

SHARE:

Be yourself, no matter what they say

Tenho o blogue há 10 anos. E se há coisa que ter um diário online nos permite é recuar no tempo. Tinha 25 anos, outra profissão, morava noutra casa, os sonhos eram outros. Nunca fui muito de planear ao detalhe. A minha vida tem sido um conjunto de felizes acasos. Foram algumas as decisões de mudança de caminho, com uma boa dose de deixar partir o que não faz sentido. Mas acima de tudo tenho construido a minha sorte. Sim, faço-me à vida e não espero que a vida me caia no colo. É que isto de ter sorte dá muito trabalho. Sonhava ser médica, quis a vida que me tornasse enfermeira. Fui enfermeira 6 anos. Decidi fazer o curso de jornalismo, quis a vida que me tornasse comercial numa multinacional farmacêutica, e já passaram mais 7 anos. Sonhei casar e ter filhos, quis a vida que este ano a primeira parte do sonho fosse realidade. Na minha vida o espaço para o improviso tem sido grande. Procuro sempre aquilo que me faz mais feliz, e nem sempre o caminho tem sido o mais óbvio. Acima de tudo tenho sido fiel a mim própria. Nunca fui muito de ir atrás da maioria. Não consigo viver com a sensação que o meu tempo ali terminou. Quando isso acontece canalizo toda a minha energia no verbo mudar. Quis a vida que o caminho tenha sido percorrido até aqui ao lado de pessoas boas. Acredito que comportamento gera comportamento. Tenho sido boa para com as pessoas que se cruzaram comigo. Esforço-me a cada dia para abrir mão de quem não acrescenta valor àquilo que sou. Com 35 anos tenho a serenidade que me faltava aos 25. Não tenho pressa. Vivo com a sabedoria de quem já ajustou e refez planos. Às vezes a vida troca-nos as voltas e só posso agradecer por isso. A cada salto de fé, a cada vez que saí da zona de conforto, obriguei-me a crescer sem dar conta. Não sei como vão ser os próximos 10 anos, mas tenho a certeza de que estou preparada para os viver.
SHARE:

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Brincos com pérolas, um must have

Não saio de casa sem brincos, sem anéis ou sem perfume. Sinto que me falta qualquer coisa. Como saio a maior parte das vezes a correr, opto pelos clássicos, que ficam bem com todo o tipo de roupa. Encontrei nestes brincos da Casa Batalha um must have, que tenho inclusivamente oferecido em aniversários ou Natal, já que a marca os tem mantido nas últimas coleções. Adoro o detalhe da pérola não ser redonda, mas sim esmagada.

SHARE:

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Kit de viagem by Caudalie

Viajo frequentemente em trabalho, e por isso estou sempre à procura de produtos de beleza em formato de viagem. Tenho quase sempre o kit da Caudalie (marca da qual uso também o creme de rosto e o  exfoliante. Podem comprá-lo na maioria das farmácias ou na Well´s no Continente. Custa 15 euros, já o tenho oferecido a várias amigas, e não me canso de divulgar a marca. O meu gel de banho preferido é o Thé des Vignes, um verdadeiro apelo aos sentidos.
SHARE:

Piper by furla


Apresento-vos a minha it bag do momento. Chama-se Piper, é da Furla, e é intemporal. Não é a mala de pele mais barata que vão comprar, a versão black não entra em saldos (mas a vermelha, roxa... sim). Ainda assim é um bom investimento. O modelo combina com calças de ganga, com vestidos, ou com fatos. Se forem clientes Furla, aproveitem a altura do vosso aniversário, em que a marca oferece 20% em qualquer artigo. Eu uso a minha ao ombro ou apenas no antebraço. Estou rendida.






SHARE:
© Feira de Vaidades. All rights reserved.