Pages

sábado, 1 de novembro de 2008

Acerca da auto-estima ou da falta dela...

Cada vez mais acho que existe meio mundo com falta de amor próprio. Só isso explica a necessidade constante de falar da vida alheia e de ficar feliz com o mal dos outros. É cansativo sermos o país da critica fácil. Começo a achar que os elogios devem dar trabalho a formular e como o belo português não gosta de pensar, pimba que aí vai disto. Odeio pessoas mal dispostas e que estão sempre com cara de segunda feira. Eu também me sinto infeliz às 8 h da manhã, mas caramba ao meio dia já consigo socializar. A auto-estima trabalha-se diariamente nas pequenas coisas. Às vezes estou a morrer por dentro, mas a maquilhagem e os saltos altos fazem de mim uma pessoa melhor. Ninguém quer estar com uma pessoa triste e desinteressante. Para isso existe o nosso núcleo duro de amigos. Já repararam que existem pessoas com um brilho contagiante? Pessoas em quem temos vontade de tocar? Será que já pensaram que essas pessoas gostam muito delas próprias e que só por isso estão de bem com a vida e conseguem transbordar alegria?
Caros, leiam livros de auto-ajuda, façam meditação, saiam à noite para dançar, bebam até cair para o lado. Mas façam qualquer coisa! Não é no sofá que aprendemos a ser pessoas melhores, mas na relação com os outros. Não se vistam como se fosse Domingo de manhã e fossem à rua despejar o lixo. Shame on you... Usem perfume sempre, vão ao cabeleireiro, pintem as unhas de vermelho e por amor de Deus calcem uns saltos altos. Os ténis são para fazer jogging. E depois comecem a ler. Não é a revista Maria ou o jornal a Bola claro. Informem-se sobre o que se passa no mundo. As pessoas interessantes discutem coisas interessantes e não passam o tempo no queixume. Não sejam pequeninos ou poucochinhos! Arrisquem, experimentem ser diferentes da maioria. E já agora façam o favor de ser felizes com coisas reais. O euromilhões pode nunca vos sair, o homem rico que desejam pode nunca aparecer. Por tudo isto é melhor irem apanhar sol até à esplanada mais próxima e pedir uma caipirinha. Caríssimos, se estivessem em Inglaterra não tinham sol em Novembro, estavam a morrer de frio e na rua só com casacos de penas! Temos o melhor clima, a melhor comida, somos os mais desenrascados, mas somos infelizes. Já não há paciência!

SHARE:

3 comentários

Isabel disse...

Concordo completamente! A foto está giríssima.

nika_liu disse...

Por vezes as pessoas apenas se esquecem de aproveitar "the little simple things in life"!

Quando Existe Um Nós disse...

Grande post!!

E em Inglaterra elas andam descascadas em pleno Novembro!! Quem tem brio...não tem frio!

© Feira de Vaidades. All rights reserved.