Pages

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Acesso de pura vaidade...

De pequenino é que se torce o pepino, já dizia o ditado. Um destes dias estava eu num hospital da capital para falar com um médico e entra uma família para visitar a avó. A mãe ausentou-se para perguntar se já podiam entrar, enquanto o pai ficou a tomar de duas adoráveis crianças. O pai lia o jornal, o rapaz com 7 anos talvez, jogava PSP, e a menina, um docinho, com os seus 5 anos, estava muito quieta e fazia festinhas ao irmão. E eu pensei : Que miúdos adoráveis, quando for grande quero que os meus sejam assim! Entretanto o tempo passava e a rapariga começou a ficar inquieta. Deitou-se nos sofás, experimentou todas as cadeiras disponíveis, enquanto o pai tentava explicar-lhe que não podia deitar-se. Como eu a percebia, tantos lugares vazios e confortáveis porque razão não podia ficar deitada? Entretanto a mãe volta, e começa a fazer telefonemas... a menina pede um papel e um lápis para desenhar. Eis senão quando a menina resolve deitar a mão à mala da mãe. Sacou do gloss e aí vai disto. E eu sorria e piscava-lhe o olho. A seguir sacou o creme e esfregou os bracinhos todos. Mais, seguiu-se a escova, e penteou o cabelo com gestos delicados. Eu ria que nem uma perdida e ela deliciada, porque percebeu que tinha público... para quê tentar entreter uma criança de outra forma quando a carteira da mãe é uma verdadeira caixa de pandora. É a prova de que a vaidade não escolhe idade ;)
SHARE:

3 comentários

Poetic GIRL disse...

Hmm eu quando era mais nova apanhava-me sózinha em casa e vestia a roupa da minha mãe e calçava os sapatos... ;)

tavares disse...

Já parece a minha piolha, com 7 anos, já se quer maquilhar.

Começam cedo
Bj

'Mimi disse...

Eu fazia o mesmo mas era no armário da minha mãe. Ali é que eu era feliz. Colares, sapatos, tops a fazer de vestido, chapeus, lenços e baton e não chateava ninguém uma tarde inteira :)

© Feira de Vaidades. All rights reserved.