Pages

domingo, 14 de novembro de 2010

The one

Todos queremos a relação perfeita. Não a perfeição, que essa não existe, mas aquela que tráz harmonia e equilíbrio ao nosso mundo. Aquela que nos completa, que nos faz sentir únicos e especiais. E porque será que mantemos relações que não nos fazem felizes? Relações que nos fazem mais mal que bem. Pessoas que começaram por encher de luz os nossos dias e que aos poucos nos foram sugando tudo o que temos de melhor. Será que vale assim tanto termos uma pessoa dessas ao nosso lado? Às vezes sem darmos conta, estamos sozinhos a lutar por algo que já só nós é que queremos. O outro já saiu da nossa vida há muito e só nós é que ainda não percebemos. Geralmente quando nos começamos a sentir vazios é porque o outro já não está lá. Mas a verdade é que não queremos ouvir o que todos os sinais indicam. Continuamos a investir tudo o que temos, e por vezes o que não temos. Fazemos o pino quando ninguém o pediu. Já fui actriz neste filme mais que uma vez. E sabem que mais. Não compensa. Há quem investir em nós. No nosso equilibrio e bem estar. Rir, dançar, ler, viajar, aprender, conversar. As pessoas entram na nossa vida quando estamos bem. As pessoas apaixonam-se pelo nosso brilho, pela nossa força, porque temos algo que elas querem. E é por isso que é principalmente em nós que temos que investir tempo, cuidado e atenção. Poque é isso que atrai o outro. Todos querem estar com a rainha da festa e não com a menina que chora pelos cantos. Também sei que é difícil deixar partir pessoas de quem gostamos muito. Mas nenhum de nós precisa de pessoas tóxicas na nossa vida. Temos sim de estar rodeados de boa energia para conseguirmos ficar focados em nós e no caminho que temos de fazer. Nem sempre a pessoa pela qual estivemos mais apaixonados é a pessoa que nos faz mais felizes. Nem sempre quem nos deixa de cabeça perdida e com borboletas no estômago é a pessoa que nos dá equilibrio. E todos nós procuramos viver em harmonia. Custa educar o coração, mas às vezes temos mesmo de ouvir a razão.
SHARE:

6 comentários

'Mimi disse...

É muito mais difícil educar o coração, não haja dúvidas...

Também já fui actriz desse filme e não é nada agradável. É uma sensação péssima. A ideia de que demos tudo o que tinhamos e o que não tinhamos para fazer aquela pessoa feliz e acaba por ser uma desilusão.

Mas cada coração partido vale sempre para aprender uma lição...

B. Cérise disse...

O problema é sempre aceitar que aquela pessoa que amamos já não nos quer da mesma maneira. E mesmo que às vezes o amor ainda esteja lá, muitas vezes o que os dois querem não é o mesmo e nessas situações é muito difícil continuar a acreditar!

mi disse...

lin-nnnnn-do!! :)**

Poetic GIRL disse...

Também já aprendi essa lição... beijoca

Anne. disse...

O mais estúpido disso é a facilidade com que mesmo sabendo de tudo isto nos deixamos arrastar durante tanto tempo antes de assumir o fim de uma relação que já se perdeu há imenso tempo.

Adorei (:

Guinhas disse...

Realmente é complicado porque, depois de uma experiência destas,pela qual creio que todos já passámos, queremos controlar as emoções mas...até que ponto é que isso não "estraga" a inocência de uma relação. Adorei o post!

© Feira de Vaidades. All rights reserved.